Minhas dicas da Provence

Post relacionado: Organizando uma road trip pelo sul da França (Provence e Côte d’Azur) e Cinque Terre

A Provence, região famosa por seus belos vilarejos, excelente gastronomia, vinhos fantásticos e perfumadas lavandas! Já com saudades, apresento a vocês o nosso roteiro e algumas dicas. Lembrando que neste blog vamos denominar Provence a parte correspondente ao interior da região da Provence-Alpes-Côte d’Azur (PACA) e chamar de Côte d’Azur a parte litorânea da PACA, banhada pelo Mar Mediterrâneo.

Quando ir à Provence? Agosto é o mês do fervo, quando todos os europeus estão de férias (prepare-se para muito calor e engarrafamentos nas estradinhas apertadas do Verdon). Julho é mais tranquilo que agosto e há praticamente 100% de chance de lavandas em flor. O mês de junho é tranquilo e já faz calor – mas tem pouca chance de campos de lavandas no auge da florada.

Como chegar à Provence? Nós chegamos pelo aeroporto de Marselha.

Onde ficar na Provence? Escolhemos Aix-en-Provence, que fica a 25 km (cerca de 25 minutos) do aeroporto de Marselha. Aix foi eleita nossa base por ser o centro geográfico da região que pretendíamos conhecer e, além disso, é uma cidade calma, universitária, com ótimas opções de restaurantes. Como não dispõe de muitos hotéis, nossa alternativa foi alugar um apartamento no centro e ficamos muito felizes com a escolha! Fica aqui a recomendação do charmoso e bem localizado apartamento do Sr. Sebastien Krier, que locamos pelo Homeaway. A propósito, Aix é a cidade natal do pintor Paul Cézanne, lugar em que ele viveu e se inspirou. O órgão de turismo oficial da cidade oferece tours guiados sobre o artista (veja aqui), mas fique sabendo que todos os lugares que mantêm alguma relação com Cézanne estão marcados com sua inicial “C”.

Quantos dias ficar na Provence? Ficamos 6 noites e foi suficiente.

Como se locomover na Provence? É absolutamente essencial ter um carro. Alugamos um tipo wagon e não tivemos dificuldades em dirigir nas estradinhas estreitas do Verdon, ponto nevrálgico das rodovias provençais. Tudo é muito bem sinalizado e não há necessidade de GPS – o Google Maps é mais que suficiente!

O que fazer na Provence?

1. Conhecer as vinícolas e os vinhos da região. A vitivinicultura foi trazida para a Provence ainda na antiguidade, pelos gregos, e hoje a região produz vinhos rosés (cerca de 75% da produção), tintos (cerca de 20%) e brancos (cerca de 5%). Os rosés da Provence são famosos por sua leveza e aromas frutados, perfeitos para o verão. Os tintos são encorpados e dentre os mais emblemáticos estão o Chateauneuf-du-Pape, Côtes du Rhône, Gigondas e Vaqueyras. Nosso importador de vinhos franceses em Floripa, o Didier Simon (proprietário do Emporio Mundo) viabilizou visitas especiais para nós junto aos seguintes produtores: Domaine Roche Audran, Domaine Fontavin e Domaine Sainte-Lucie (que além de ter o design de garrafa/rótulo mais bonito, moderno e ousado da região, é premiadíssimo pelo portfolio de vinhos produzidos). Seguindo a tendência dos alimentos, muitas vinícolas da Provence já produzem vinhos orgânicos (bio, como chamam na Europa) e até mesmo biodinâmicos (cujo cultivo respeita os ritmos da natureza). Para organizar suas visitas às vinícolas da região, sugiro uma navegada no site das rotas de vinhos da Provence (infelizmente apenas em francês).

“Se você abrir uma garrafa de rosé e ouvir o canto das cigarras, o vinho é da Provence”, provérbio provençal.

  
 

Nos vinhedos de Roche Audran

 
    
 

Vinhedos do Domaine Sainte-Lucie ficam aos pés do Mont Sainte-Victoire

 
   

Portolio de brancos e rosés do Domaine Sainte-Lucie, pronto para ser degustado

  
 

Nosso rosé predileto, importado no Brasil pelo Emporio Mundo

 

2. Explorar os vilarejos provençais. São muitos, prepare-se para desistir de muitos e priorizar alguns… Nós escolhemos Aix-en-Provence, Rougon, Gordes, Roussillon, L’Isle-sur-la-Sorgue, Fontaine-de-Vaucluse, Bonnieux, Lourmarin, Les Baux-de-Provence e Saint-Rémy-de-Provence. Planejamos também visitar Arles (cidade que inspirou muitas obras de Van Gogh) e Auvignon (cidade dos papas), mas tivemos que abdicar em função do tempo. Para ajudar (ou dificultar ainda mais) suas escolhas, veja aqui a lista completa dos mais belos vilarejos da França.

 

Ruela em Rougon

 
 

A pracinha principal de Rougon

 
 

Gordes, linda!


 

Em Gordes, cada canto é um encanto!

 
 

Bela Lourmarin

  

 

Lourmarin

 
 

Roussillon

 

3. Ver os campos de lavanda. A melhor época para ver as lavandas em flor é julho (a colheita ocorre em agosto) e a região perfeita é o Valensole. 

 

Em junho, só as lavandas do outdoor do museu da lavanda rsrs…

 
  

4. Conhecer o Parque Natural do Verdon. O rio Verdon percorre parte da Provence e deságua no Lac de Sainte-Croix formando um belo canyon de pedra calcária branca, material que dá uma fantástica cor azul-esverdeada às suas águas. Uma das melhores vistas do canyon, senão a melhor, fica na Pont du Galetas, em Moustiers-Sainte-Marie. Na ponte se avista também o local onde é possível locar barquinhos elétricos e pedalinhos para navegar pelas belas águas do lago.

 

Tá vendo a Pont du Galetas lá embaixo?


 

Essa é a vista que se tem a partir da ponte!

 

 5. Conhecer os Calanques de Cassis. A cidade de Cassis por si só já vale a visita: pequena e aconchegante, foi uma bela surpresa litorânea depois de quase uma semana rodando pelo interior da Provence. Não bastasse, Cassis ainda possui formações rochosas de tirar o fôlego, as Calanques (penhascos), que podem ser exploradas por terra (por longas e cansativas trilhas) ou pelo mar. Optamos por navegar entre os penhascos, em um passeio de barco que sai do Port de Cassis e percorre 3 calanques: Port-Miou, Port-Pin e En Vau. Esse passeio chama-se Discovery, dura 45 minutos, custa 16 euros e o barco sai a cada 30 minutos do Port de Cassis (no verão, há barcos das 9h30 às 18h00). Mais informações sobre outras opções de passeios, horários e preços, aqui.

 

Porto de Cassis

  
   
   
  

6. Voar de balão. Quem me conhece sabe que ultimamente não tenho dispensado esta agradável aventura! A tranquilidade de flutuar suavemente e a vista proporcionada pelo voo de balão são indescritíveis… Nosso voo foi organizado pela querida Anaté Merger, dona da agência de viagens e site NaProvence (site@naprovence.com). Decolamos às 06h30 em Puimoisson (pertinho de Valensole) e sobrevoamos o L’Asse (rio que corta a região), lagos, campos de trigo e papoulas por cerca de 1h30. A atividade durou toda a manhã e terminou com um lanche campestre regado ao vinho local. O investimento da aventura privada (3 passageiros) foi de 680 euros.
  
   
    
    
   

Organizar o roteiro pela Provence foi a missão mais difícil desta viagem, porém a mais recompensadora! Compartilho com vocês o que fizemos em cada um dos 6 dias pela região.

Dia 1: Pela manhã visitamos o Domaine Roche Audran (em Buisson), almoçamos no La Fleur Bleue (autêntico restaurante provençal, em Le Sublon) e de tarde visitamos o Domaine Fontavin (em Courthezon). Neste dia pretendíamos também conhecer Auvignon, mas desistimos em função do cansaço.

 

La Fleur Bleue foi o mais autêntico restaurante provençal da viagem

 

Dia 2: Pela manhã voamos de balão (decolagem em Puimoisson), fizemos o tour pelo Parc Verdon, almoçamos na Ferme Ste-Cecile (restaurante maravilhoso, em Moustiers-Sainte-Marie) e passeamos pelos campos de lavanda em Valensole.

Dia 3: Visitamos o Domaine Sainte-Lucie (em Puyloubier), almoçamos no Relais Saint-Ser (em Puyloubier) e passeamos pelo centro de Aix (aos domingos tem feira na Cours Mirabeau, principal rua da cidade).

Dia 4: Fizemos um super tour por diversos vilarejos provençais, todos lindos: Gordes (almoçamos no La Renaissance, restaurante orgânico que fica na pracinha), Roussillon, L’Isle-sur-la-Sorgue, Fontaine-de-Vaucluse, Bonnieux e Lourmarin.

Dia 5: Pela manhã visitamos Les Baux-de-Provence, almoçamos no Hotel Benvengudo e de tarde passeamos por Saint-Rémy-de-Provence.

 

Belo patio do Benvengudo

 

Dia 6: Pela manhã fizemos o passeio de barco pelos Calanques de Cassis, almoçamos no Hotel Les Roches Blanches (que tem uma vista fantástica) e de tarde partimos rumo a Saint Tropez.

 

Vista do restaurante do Hotel Les Roches Blanches

 
Antes de embarcar para a Provence, vale a pena assistir o filme “Um bom ano”, em que Russell Crowe é um investidor da bolsa que herda a vinícola do seu tio – o filme foi rodado na cidade provençal de Cucuron, que fica do ladinho de Lourmarin.
Créditos das imagens: bemsortido

Anúncios

4 comentários sobre “Minhas dicas da Provence

  1. Ludmila Sobral disse:

    Maravilhoso e rico post! também revivi cada segundo da minha última viagem! obrigada por essa alegria num sabadão tranquilo e calmo! Não vejo a hora de voltar….ficou muita coisa para trás! beijão!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s